Ginast Academia ao ar Livre - Equipamentos Certificados‎
Clique aqui e envie sua mensagem

Quais são as características de um bom comprador? Confira!

Qualquer um que sabe a importância do profissional de compras para o sucesso de uma construtora e para a execução de obras de qualidade, valoriza as características de um bom comprador. Aliás, elas já foram muito diferentes do que são na atualidade.

Em um mercado em plena transformação, vivemos um momento no qual a integração se expande para toda a cadeia produtiva, gerando a necessidade de pensar em termos de gestão de fornecedores, estoque, logística, compras e produção como atividades alinhadas, que precisam manter a sinergia.

É preciso entender as demandas da execução da obra, as fraquezas e os pontos fortes de cada fornecedor, entre inúmeros outros aspectos. No centro de tudo isso está o comprador. Por esse motivo, mostraremos neste artigo os atributos e os comportamentos mais determinantes para que esse profissional supere os desafios e alcance o sucesso tão almejado. Confira!

Capacidade de organização

A necessidade de organização surge, justamente, dessa variedade de pormenores com os quais um bom comprador precisa se preocupar. Desenvolver um bom planejamento de compras, organizar o dia a dia, negociar, identificar gargalos e executar com excelência a gestão do tempo são bons exemplos da variedade de tarefas e ocupações de um comprador.

Sem organização é absolutamente impossível manter um bom nível de produtividade. Na falta dela, o profissional acaba experimentando a necessidade de correr o mais que puder, o que prejudica a qualidade do trabalho e gera problemas frequentes que poderiam ser evitados. Para resolvê-los, é preciso dedicar ainda mais atenção a eles, levando à diminuição da produtividade e ao conhecido efeito bola de neve.

Entendimento de mercado

Boa parte das habilidades necessárias ao comprador envolvem um bom conhecimento do mercado no qual atua. Saber, por exemplo, quem são os fornecedores, quem compra deles, quais as vantagens e as características de cada um costuma facilitar em muito o trabalho.

Mas o mercado muda diariamente, o que gera a necessidade de se informar continuamente também. Além do surgimento de novas empresas, tecnologias e produtos, é fundamental conhecer as demandas apresentadas pelo consumidor. A capacidade de entregar um produto competitivo também depende do comprador, que pode ajudar com a indicação de novos materiais, por exemplo.

Conhecimento do produto

A mesma necessidade envolve o produto, pois conhecê-lo é fundamental para a apresentação de soluções inovadoras, que se encaixam na proposta de cada projeto. Isso sem contar os enganos possíveis em razão de desconhecimento, com compras fora do padrão descrito.

Além do produto, a produção também precisa de atenção do comprador. Ele deve se manter informado sobre prazos, pendências, atrasos e problemas, de modo a evitar paradas desnecessárias e custos elevados.

Bom relacionamento

A gestão de compras moderna também tem o relacionamento como um forte componente no sucesso do profissional, principalmente em razão da necessidade de criação de sinergia, mencionada no início deste artigo. Sem envolver os participantes do processo e estabelecer um relacionamento que favoreça feedbacks, a melhora do departamento de compras e de todos os outros que dependem dessa área fica limitada, pois torna-se mais difícil estabelecer as prioridades de melhoria.

De outro lado, elas exercem um efeito em cascata muito positivo quando o alinhamento entre os envolvidos é estabelecido de modo eficiente. Desse ponto de vista, a gestão do relacionamento é chave para garantir o ambiente ideal para negociações com menos atritos, mais focadas nos propósitos comuns do que exclusivamente nos interesses particulares.

Comportamento ético

A base do bom relacionamento é o comportamento ético, ou seja, o alicerce da confiança, de uma boa reputação e da segurança nas negociações. Ainda que esse seja um componente mais subjetivo — uma vez que as pessoas têm diferentes perspectivas éticas, ou em relação a determinar o que é certo ou errado —, existem aspectos bastante objetivos e concretos que determinam a confiabilidade que atribuímos uns aos outros.

Visão estratégica com base em dados

Não existe outro caminho para otimizar o processo de compras que não seja a visão estratégica, ainda mais no contexto que descrevemos, baseado na sinergia. Essencialmente, ele é reflexo da necessidade de que cada participante da cadeia produtiva colabore para o cumprimento das estratégias.

Em um modelo de grande integração entre esses agentes, é possível usar dados detalhados na forma de indicadores para identificar até que ponto a estratégia é cumprida. Afinal, uma estratégia não é concluída de uma vez, ao fim do processo. Ela vai sendo estruturada passo a passo, a cada negociação, execução, entrega, armazenagem e assim por diante.

Esses números também são essenciais para identificar os gargalos e definir quais deles têm prioridade de solução. Isso ajuda muito na hora de transmitir feedbacks aos fornecedores, por exemplo. Quanto mais concretos eles forem, menores as chances de serem mal interpretados ou incompreendidos.

Capacidade de negociação

Quando falamos em características de um bom comprador, a negociação logo surge como uma das principais na nossa memória. Para manter a eficiência operacional, é preciso reunir habilidades diversas, mas a de negociação sempre se destaca.

Basicamente, ela envolve uma grande capacidade de se comunicar com eficiência, de forma afirmativa e objetiva, expor demandas e estabelecer acordos, mas também implica o conhecimento de técnicas e o desenvolvimento de boas estratégias.

Um bom negociador sabe até onde pode chegar, do que pode abrir mão, no que precisa ser mais rígido. É também flexível e estabelece regras claras sobre as parcerias que deseja formar. Ainda assim, em outras épocas, ele já foi valorizado pela capacidade de obter a máxima vantagem.

Os compradores de supermercado, por exemplo, ficaram famosos por isso, mas os das construtoras não ficaram longe deles. É óbvio que você precisa defender os interesses da construtora, entretanto, existem limites para o que podemos fazer sem causar prejuízos à qualidade e ao relacionamento.

Para concluir, é fundamental lembrar que conhecer as características de um bom comprador é determinante para buscar a melhora constante do desempenho, algo que todos os profissionais, de todas as áreas e formações, podem fazer — independentemente do nível de experiência.

E então, identificou-se com as características mencionadas? Que tal, agora, dividir essas informações? Compartilhe este artigo em suas redes sociais e aproveite para interagir sobre o tema!

0